Você com certeza já viu o termo “fake news” enquanto navegava na internet, mas já parou para pensar nos impactos deste tipo de procedimento? Sabe identificar uma notícia falsa? Neste texto vamos comentar o que são as Fake News e como escapar das notícias falsas.

A história

De acordo com este texto do Huffpost Brasil, portal de notícias , o termo ‘fake news’ existe desde a década de 1890, mas se popularizou no período da eleição presidencial norte americana de 2016, que elegeu Donald Trump presidente. Além disso, sabemos que a disseminação de notícias falsas sempre foi feita com o intuito de se obter diferentes retornos, como o financeiro ou político. Enquanto as tecnologias da informação e da comunicação se multiplicam, notícias falsas ou imprecisas podem se espalhar de maneira extremamente rápida. E ainda manipular cenários e estimular opiniões. As redes sociais têm sido muito utilizadas para a disseminação de inverdades e como maneira de seduzir quem lê. Para embasar argumentos que justifiquem os próprios posicionamentos, muitas pessoas replicam informações com determinadas opiniões pré-estabelecidas sem a mínima checagem da fonte, apenas para reiterar um discurso engendrado no senso comum. E mais: nesta matéria da BBC Brasil vemos como alguns fatos não geram comoção entre algumas pessoas com convicções fortes e consolidadas.

Hoje, qualquer pessoa pode criar uma notícia falsa, diferentemente do período em que os meios de comunicação de massa produziam o conteúdo e a população o consumia. Na história da publicidade, muitas teorias da propaganda foram desenvolvidas no período da Segunda Guerra Mundial. O nome de Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda de Hitler, costuma ser lembrado como um dos grandes responsáveis pela disseminação do nazismo. Seus 11 princípios ‘informativos’ eram aplicados a toda ferramenta de comunicação da época, mas principalmente ao rádio, veículo de grande alcance. Ao propagar em larga escala notícias falsas que apelavam para a ideologia nazista, Goebbels fez dos meios de comunicação um grande instrumento de manipulação política. Seriam as fake news uma retomada de práticas totalizadoras e autoritárias?

Na atualidade

No Brasil, em abril de 2018, após o assassinato da vereadora do PSOL Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, diversas notícias falsas foram divulgadas para prejudicar a imagem de Marielle e sua atuação na militância pelos direitos das minorias. Boatos compartilhados nas redes sociais ligavam a ex-vereadora ao crime organizado e muitas delas eram extremamente contaminadas por forte preconceito social quanto à origem de Marielle, que era mulher negra, oriunda da favela, lésbica e militante dos direitos humanos. Neste site você confere algumas respostas para os boatos criados a respeito de Marielle.

Para identificar uma notícia falsa, é importante estar atento aos seguintes pontos: 

  •         Considere a fonte: Investigue o site, sua missão e outros textos.
  •         Leia mais: Os títulos podem ser atraentes, mas sempre leia mais! Pesquise sempre.
  •         Verifique o autor: Conhece o autor? Faça uma pesquisa e veja se ele existe e é confiável!
  •         Verifique a data: Repostar notícias antigas não significa que sejam relevantes atualmente!
  •         O texto pode ser uma sátira? Pesquise novamente o site e o autor!

Hoje, no Brasil, existem agências especializadas em fact-checking, ou seja, em verificar os fatos divulgados na mídia. Essas agências acompanham os noticiários e verificam se as informações estão corretas para o público. Acompanhe o trabalho da Agência Lupa e da Agência Pública e faça também suas checagens nas matérias e textos encontrados em rede. Para além de estar atento à disseminação de fake news, é importante que também sejam difundidas na mesma intensidade notícias que desmintam tais boatos. Afinal, a  preservação e manutenção da democracia está intimamente relacionada a uma população informada e que atue criticamente, para que as informações falsas não possam influenciar de forma tão intensa a opinião pública.

 

Um comentário sobre “FAKE NEWS”

Os comentários estão desativados.